A Formação em Tempos de Distanciamento Social - Testemunho de Formadores do Citeforma

A Formação em Tempos de Distanciamento Social - Testemunho de Formadores do Citeforma

O Citeforma retomou, esta semana, a sua atividade, com recurso a modalidades de formação on-line. Os formadores, muitos deles de áreas à margem das tecnologias, empreenderam um esforço extra para, num curto período de espaço de tempo, ficar a par das novas ferramentas, ganhar competências no domínio da administração de plataformas, adaptar conteúdos e abranger todo o grupo de formandos nesta nova dinâmica.

Esta solução, elaborada para ultrapassar os constrangimentos resultantes do estado de emergência em vigor no país, levou a uma rápida organização do grupo de formadores do Citeforma, em ligação aos técnicos (todos em regime de teletrabalho). Constituiu-se uma rede de colaboração, com os formadores da área da tecnologia a dar grande apoio. O empenhamento dos envolvidos foi determinante para os casos de sucesso que aqui damos conta:

 

“No geral a experiência correu lindamente e penso adotar o mesmo método nas sessões em falta”

Manuela Laranjeira, é formadora de "Língua Inglesa" no curso de Técnico Especialista em Gestão de Redes e Sistemas Informáticos (CET). Conta-nos que, à hora estabelecida, estavam todos conectados.

“Comecei por confirmar as presenças e explicar o novo funcionamento das sessões e eventuais mudanças ao planeamento previamente decidido e partilhado com eles. Eu já tinha colocado uma ficha no Moodle, que os formandos baixaram. A primeira parte da sessão foi teórica, com apresentação do tema e leitura da informação contida na ficha. Seguiu-se um momento de interação oral, em que os formandos apresentaram as suas ideias sobre o tema abordado. Depois fizemos uma atividade gramatical com recurso ao Kahoot e ao Zoom.

Depois de um curto intervalo, regressámos para a parte prática, com o desenvolvimento de um texto de opinião seguindo determinadas indicações. Os formandos foram mantendo contacto comigo através do chat para tirarem dúvidas. Antes do prazo terminar, todos fizeram upload do seu texto na plataforma.
Não tivemos quaisquer constrangimentos e a presença dos formandos é assegurada dentro dos possíveis. Acabámos por estar em modo de videoconferência durante toda a sessão, e a qualquer momento era-lhes feita uma questão. Portanto, tinham de estar sempre no computador e a trabalhar ou não conseguiriam responder”, explica.
Manuela Laranjeira diz que “No geral a experiência correu lindamente e penso adotar o mesmo método nas sessões em falta”.

 

“A preparação prévia da sessão, dos materiais e da planificação das tarefas e tempos é (ainda mais!) a chave “

Marta Sotto-Mayor é formadora do módulo de “Atendimento de clientes na receção” do curso de Rececionista de Hotel (Educação e Formação de Adultos). Conta-nos que “A sessão iniciou de forma síncrona à hora agendada. O acesso foi feito sem grandes dificuldades e todos gostaram muito de se ver uns aos outros. Cada formando partilhou onde está e como se sente relativamente à situação de confinamento que todos vivemos neste momento.“
Passaram depois para as tarefas em concreto, foi disponibilizada documentação específica e esclarecidas dúvidas. Depois, de forma assíncrona, os formandos desenvolveram o trabalho.“Posteriormente retomámos a sessão, novamente em formato síncrona, e foi verificado se todos os trabalhos tinham sido feitos e entregues na plataforma de forma adequada. Cada formando explicou como elaborou o trabalho e partilhou um resumo da sua reflexão. No final expliquei ainda a tarefa que irão desenvolver na próxima sessão e qual é o plano dos trabalhos que está definido até à conclusão do módulo” concluiu Marta Sotto-Mayor.

As maiores dificuldades, foram de ordem técnica e de adaptação ao novo ambiente: “Perceber como podem os formandos carregar documentos no Moodle não foi fácil inicialmente, mas todos contribuíram de forma ordeira e pro-ativa e conseguimos, sem perder muito tempo, resolver a situação.
Depois há aquelas questões mais particulares de um formando que não tem imagem, outro não tem som... Tirando a situação de uma pessoa que não conseguiu acompanhar a sessão, todos participaram sem problema, com entusiasmo e demonstrando interesse e flexibilidade para que tudo corra pelo melhor”.

Pedimos ainda à formadora, para nos fazer um balanço da experiência:
“Excelente. Acredito que foi uma experiência muito positiva para todos. Os formandos referem que a presença em sala é mais gratificante, mas com a partilha de ecran todos acompanham o andamento da sessão e participam ativamente.
Neste formato, para prestar formação que promova a aprendizagem com qualidade, denoto que a preparação prévia da sessão, dos materiais e da planificação das tarefas e tempos é (ainda mais!) a chave, informando os formandos previamente do plano de trabalhos conseguimos a otimização das sessões sem perdas de tempo, e com uma dinâmica positiva e motivante”.

 

Esta metodologia de retoma de atividade do Citeforma, aprovada pelo Conselho de Administração, permite que os formandos continuem a receber os apoios sociais previstos e os formadores assegurem o pagamento das horas ministradas.

Todos a trabalhar em casa e em segurança.

27 março 2020

  • logo iefp
  • logo sitese
Este website usa cookies para melhorar a experiência do utilizador. A sua não aceitação pode resultar em dificuldade em visualizar/interagir com as páginas da Citeforma. Conhecer Política de Cookies Aceito
  • logo Plano de Recuperação e Resiliência
  • logo poise
  • logo poch
  • logo lisboa2020
  • logo portugal2020
  • logo gp min solid emprego seg social
  • logo uniao europeia