Estudo revela taxa de empregabilidade de 87% nos Cursos de Qualificação do Citeforma

Estudo revela taxa de empregabilidade de 87% nos Cursos de Qualificação do Citeforma

Um ano depois de concluírem o curso de formação, os formandos que frequentaram ações de qualificação profissional no Citeforma conseguem integrar o mercado de trabalho? E em que condições? De acordo com um estudo recentemente realizado pelo Citeforma, 80,2% dos ex-formandos que concluíram com aproveitamento ações de formação de qualificação, indicam estar “empregados”. Das respostas obtidas, ficámos também a saber que 7,7% refere estar na situação de “estudante” e 12,1% “desempregados”. Ou seja, 87% encontram-se em situação ativa. O estudo incidiu sobre cursos das modalidades de Aprendizagem, CET e EFA, realizados entre janeiro e dezembro de 2017.

De acordo com as mais recentes Estimativas Mensais de Emprego e Desemprego, divulgadas pelo Instituto Nacional de Estatística, a taxa de desemprego fixou-se em 6,7%, em novembro do ano passado. A população empregada foi de 4,84 milhões de pessoas, o que correspondeu a uma taxa de emprego de 62,3%. A população ativa foi de 5,18 milhões de pessoas. A taxa de atividade situou-se em 66,7%.

Os cursos que apresentam percentagens mais elevadas de empregados são o Programador de Informática (100%), Técnico Especialista em Gestão de Turismo (93%) e Técnico Especialista em Contabilidade e Fiscalidade (93%). Com resultados mais baixos, temos o Técnico de Logística (38%).

Relativamente ao tempo de obtenção do primeiro emprego, verifica-se que a maioria dos ex- formandos encontrou colocação ao fim de 1 mês (53,8%). Quanto aos restantes, ao fim de 6 meses já mais de 36,2% se encontrava a trabalhar.
A integração no mercado de trabalho destes ex-formandos foi, maioritariamente, por “permanência na empresa onde estagiou” (38,8%) e “resposta a anúncio” (27,5%). Se se considerar o conjunto de respostas dos ex-formandos que permaneceram na empresa onde estagiaram e os que tiveram acesso ao emprego através do Citeforma (10%), verifica-se que cerca de 50% dos inquiridos teve acesso ao emprego através da intervenção do Centro.

No que diz respeito à contribuição do curso para obtenção de emprego, 47,6% dos ex-formandos que já trabalharam, após a conclusão do curso considera que a mesma foi “elevada”. 32,9% considera que foi “média” e apenas 19,5% considera que a mesma foi “reduzida” ou “inexistente”.
As funções desempenhadas nesse emprego são, para 37% dos ex-formandos que já trabalharam, “totalmente relacionadas com a área de formação do curso”, para 40,7% “parcialmente relacionadas” e para 22,2% “pouco ou nada relacionadas”. No que diz respeito à condição no emprego, verifica-se que 81,5% destes ex-formandos são “trabalhador por conta de outrem” e 13,6% está em situação de “estágio profissional”.

Quanto à natureza do vínculo contratual, a maioria destes ex-formandos tem um “contrato a termo” (48,8%) ou “contrato sem termo (23,8%). 15% encontra-se em situação de “Contrato de Estágio”.

Comparativamente com os resultados obtidos em anos anteriores, verifica-se uma evolução muito positiva deste indicador, que atinge, em 2017, o seu valor máximo desde que se iniciou o estudo da empregabilidade de ex-formandos, em 2005. A representatividade da amostra consolida a relevância dos dados, registando-se a taxa de resposta mais elevada de sempre e uma abrangência de cursos que cobre várias modalidades (Aprendizagem, EFA e CET) e áreas de formação.

Sobre o estudo

Para a realização deste estudo, foi solicitada a participação de todos os ex-formandos que concluíram com aproveitamento ações de formação de qualificação nas modalidades de Aprendizagem, CET e EFA entre janeiro e dezembro de 2017 (foram inquiridas 149 pessoas), sendo que foram rececionados 91 inquéritos (taxa de resposta de 61%).
A técnica de recolha de dados adotada foi o inquérito, que permite recolher e analisar elementos de uma população relacionados com um determinado objeto de estudo, procedendo-se, posteriormente, à análise estatística dos dados recolhidos.

 

Testemunhos de alguns formandos que frequentaram estas ações de formação e responderam aos questionários:

“Foi a melhor surpresa que poderia ter em termos de estudos e que me faz estar onde estou hoje”

“Achei o curso ótimo, deu-me a oportunidade de aprender tudo um pouco e aprofundar nas áreas específicas do meu curso. Trago muito boas memórias e espero que continuem assim. Obrigada por tudo”

“O curso demonstrou ser uma ferramenta muito poderosa, não só para o meu crescimento profissional, mas sem dúvida, intelectual. A postura da generalidade dos formadores permitiu que esse desenvolvimento fosse possível. Aqui estava presente não somente a transmissão de saberes, como também, a vertente humana. Foi uma experiência que mudou o rumo da minha vida e por isso estou imensamente grata. Obrigada por tudo.”

“O curso foi excelente, a formação de elevada qualidade. (…) O estágio proporcionado foi ótimo, tiveram sempre o cuidado de nos proporcionar estágios relacionados com as nossas áreas de formação académica ou experiência profissional, o que para mim foi muito importante. “

07 março 2019

  • logo iefp
  • logo sitese
Este website usa cookies para melhorar a experiência do utilizador. Ao continuar a navegar está a concordar com a sua utilização. Conhecer Política de Cookies ok
  • logo poise
  • logo lisboa2020
  • logo portugal2020
  • logo gp min solid emprego seg social
  • logo uniao europeia